///Beija-flor no meio do incêndio///

home /// archives

domingo, agosto 24, 2003

A Segunda Vinda


por Marco Antonio H. de Menezes

Olá a todos que estejam lendo estas linhas!!!
Muita coisa tem sido dita sobre o ano de 2012, sobre catástrofes, mudanças, alinhamentos, mudanças de pólos e outros assuntos similares. Pois bem, que tal promovermos uma revisão destes assuntos e reconsiderarmos algumas certezas?
Vamos começar pelo já famoso Cinturão de Fótons (para você que não sabe nada sobre isto, por favor, procure uma leitura adequada*). É verdade que Alcione, o Sol Central das Plêiades, está eternamente banhada pelo Cinturão de Fótons e por isto é um corpo celeste em constante Iluminação! É verdade que todas as demais estrelas que pertencem ao sistema pleiadiano circundam Alcione, inclusive o Sol que banha o seu planeta, chamado Terra. É verdade também que o seu Sol, já está mergulhado neste Cinturão de Fótons já faz uns 3 para 4 anos segundo sua contagem de tempo. É verdade que o planeta Terra já freqüenta o Cinturão de Fótons há alguns anos, mas ainda não está inteiramente mergulhado nele e que isto só ocorrerá no ano de sua contagem de 2012, mais precisamente: 21 de dezembro de 2012. É a data da sua contagem de tempo que coincide com a contagem Maia. Em outras palavras, seu planeta será cada vez mais submetido a uma aceleração das partículas e toda a vida nele existente se tornará mais e mais acelerada em termos de vibração e isto desencadeará uma brutal iluminação em massa de tudo o que vive na Terra, inclusive a própria Terra passará por esta reavaliação energética.
Mas, a partir daí começam as muitas incertezas!
Uns dizem que a Era de Aquário começa nesta data, outros dizem que ela só começa quando Plutão entrar definitivamente no Cinturão de Fótons. E você? Em que número vai apostar?
Vamos recordar algumas coisas, talvez vocês tenham melhores condições de se decidir por esta ou aquela teoria. O Sistema Solar ao qual vocês pertencem leva aproximadamente 26.000 anos para girar em torno de Alcione. Aproximadamente a cada 13.000 anos o seu sistema solar se encontra banhado pelo Cinturão de Fótons e sofre uma aceleração. E fica em torno de 2.000 anos sob este Cinturão. Este tempo em que ele fica banhado pelo Cinturão é chamado de Era de Leão ou de Era de Aquário. Atualmente estamos nos encaminhando para a Era de Aquário.
Agora vem a pergunta: em que momento entraremos na Era de Aquário? A resposta: NÃO IMPORTA!!!!!! Olhar para a folha sem ver a árvore ou olhar para a árvore sem ver a folha não fará ninguém melhor ou pior! O importante é o que este momento representa e não em que momento ele passa a existir! O que você já pode fazer desde agora é que é importante.
Haverão catástrofes? O que é uma catástrofe para vocês? Um dilúvio bíblico, um cometa chocando-se com seu planeta, Godzilla ensurdecendo seus tímpanos, vulcões em fúria hollywoodiana, aviões rodeando arranha-céus, governantes bombardeando um bando de esfomeados liderados por um egocêntrico? Escolha sua catástrofe e se divirta com ela, pois ela não virá!!!! Isto aí: ela não virá!!!! Vocês estão há tanto tempo acostumados com os relatos bíblicos que acham perfeitamente plausível que qualquer evolução deve vir sob um forte "arrasa-quarteirão". Por outro lado há aqueles que não sabem e nem seguem seus livros sagrados e também acham que tudo o que está além de seu conhecimento deve ser considerado como terrível e tenebroso ou mesmo justo na sua fúria! Isto serviu para uma época, isto aconteceu num dado momento, mas não é para sempre! E é bom que tenhamos algo em mente: catástrofes naturais não são castigos, mas acomodações, assim como a febre que atinge seu corpo sinalizando uma luta interna para trazer seu organismo ao equilíbrio. Portanto, esqueçam o capítulo catástrofe: O CRIADOR É UMA TREMENDA CONSCIÊNCIA E NÃO UM HUMANO UM POUCO MAS ESCLARECIDO!!!!! OKKKKKK?????!!!!!! Em outras palavras Ele destrói e constrói em função do desenvolvimento da Sua Criação e não por achar que uma pulga mordiscou Seu pé! O que pode ocorrer são acomodações do planeta como um todo, coisa que sempre ocorreu em menor ou maior escala ao longo destes muitos anos pelos quais cada um de vocês têm vivido! Se a quantidade de fenômenos desiguais tem aumentado é porque o nível de acomodação exigido é maior, mas não vai ser a catástrofe que vai redimir a humanidade!
Quer dizer então que os seres humanos precisam se apressar para atingir algum nível espiritual em 2012? Para responder a esta pergunta vamos ter que dar uma volta em torno do Universo!
Vamos começar revendo o seguinte: você acredita em extraterrestres? Se você respondeu "Não", sinto em desapontá-lo, mas você acabou de negar o que você é! Sim, todos os seres que aqui estão tiveram suas origens fora do planeta. Todos chegaram aqui algum dia para deixar sua contribuição aqui, porque aqui é uma biblioteca viva**, onde cada ser de qualquer parte do Universo poderá tranqüilamente consultar cada arquivo livremente. E você é um arquivo! Dentro de suas células estão suas fitas DNA e nelas estão gravadas as suas origens e suas aventuras ao longo das eras pelos mais diversos pontos do Universo. Cada ser que habita esta planeta encontrou uma maneira de acumular suas aventuras, vocês fazem parte daquele grupo que escolheu gravá-las nestas fitas genéticas. O planeta Terra é um local originalmente feito para que um grupo restrito de seres o habitem por algum tempo administrando-o e permitindo que outros seres aqui cheguem e consultem os seus diversos arquivos. Estes "administradores" poderiam criar futuros "administradores". Desta maneira o planeta não correria o risco de virar o "cortiço" em que se transformou. Acontece que alguns seres (que doravante chamaremos de seres "em queda") ficaram de olho neste planeta e nas suas aparentes riquezas, esquecendo que, como tudo no Universo, todo equilíbrio é sutil demais. Estes seres acabaram por incutir no planeta a ganância espiritual e material que ainda hoje percorre suas mentes e veias. E todos aqueles que viveram neste planeta naqueles tempos tão antigos se tornaram vítimas: perderam o contato com a Terra, o contato com seu Eu Maior, se tornaram seres cada vez mais densos e prisioneiros de suas próprias paixões e deram origem a um bando de seres geneticamente modificados que hoje conhecemos como humanos. Os humanos são, na verdade, uma mistura da carga genética destes seres "em queda" com a de seres que originalmente já existiam aqui no planeta como frutos da evolução natural que transcorria normalmente naquela época. Seus cientistas há muito desconfiam que algo desta natureza tenha acontecido, pois não conseguem entender a estranha aceleração evolutiva que transcorreu neste planeta, pois para eles, em escala normal, vocês não deveriam estar no nível em que se encontram.
Mas, como nada no Universo acontece por acaso, o jeito foi ver o que aconteceria após esta série de manipulações genéticas. Acontece que ao mesmo tempo já se sabia que uma grande onda de energia envolveria um grupo de galáxias ao qual a Via-Láctea pertence. Esta onda de energia percorreria cada corpo celeste desta área do Universo gerando um salto qualitativo de evolução matricial. Haveria uma expansão de consciência de grandes proporções para todos os seres que viviam naquela área. Segundo sua contagem de tempo atual ela estaria para ocorrer coincidentemente durante a atual passagem do seu sistema solar pelo Cinturão de Fótons.
E como ficaria aquela "aberração genética" recentemente criada no planeta Terra? É preciso compreender que os humanos eram um bando de seres que continham um material genético de altíssimo nível e que não poderia ser descartado, uma vez que seu descarte apagaria informações muito antigas sobre muitas gerações de consciências, algumas delas originadas nos primórdios da Criação. Inicialmente foi necessário que um grupo de seres descessem ao seu planeta para educá-los, pois os seres humanos eram como sacos de seda vazios ou potes de ouro sem conteúdo. Pensem nisto: da noite para o dia uma lagarta virou um tigre! Como fazer com que a lagarta lentamente se adaptasse à sua nova realidade? Educando! Grandes seres de várias partes do Universo fizeram um "mutirão". Este "mutirão" ensinaria em tempo recorde, mas com cuidado, tudo o que pudesse ser útil para que aqueles seres estivessem melhor preparados para o salto quântico que se aproximava. Por que tanta preocupação? Simples, originalmente estes seres não continham a carga genética herdada de sua fusão com os seres "em queda" e, portanto, dentro do seu nível evolutivo natural estavam prontos para o que viria, mas com a nova carga genética eles adquiriram uma nova freqüência energética que se não fosse corretamente trabalhada..."fritaria" quando fosse atingida pela onda evolutiva. Um curto-circuito destruiria toda a matriz genética daqueles seres.
E assim, durante um bom tempo, os seres humanos foram introduzidos num novo patamar de evolução. Um dia um bando de seres que fazia parte deste "mutirão" resolveu que seria melhor se pudessem encarnar nos corpos de alguns daqueles humanos, pois achavam que isto facilitaria o aprendizado. E assim foi feito! O problema é que estes seres se tornaram apegados ao tipo de vida que passaram a ter em corpos humanos. E foi aí que surgiu a reencarnação. Até ali os seres humanos eram educados para chegar a um nível de maestria que lhes permitiria ultrapassar a terceira dimensão e ir lentamente acessando as demais, mas sem o processo de morte que hoje vocês conhecem e temem. Com a reencarnação criou-se uma roda infinita de morte e vida, da qual se tornaram prisioneiros aqueles encarnados nos humanos e os próprios humanos. A estes seres que encarnaram nos humanos vamos dar o nome de Lúcifer! Os seres chamados de Lúcifer acabaram por misturar suas cargas genéticas com as dos demais humanos (inicialmente Lúcifer só poderia casar com Lúcifer e gerar Lúcifer! Pode parecer engraçado, mas era o que acontecia! Quando um Lúcifer nascia numa família humana normal logo era entregue aos cuidados dos seres que faziam parte do "mutirão" para que fossem educados corretamente, para em seguida serem reintroduzidos no meio humano como conselheiros, feiticeiros, xamãs, mestres e afins) e com isto a matriz humana foi dando cada vez mais saltos, exigindo um preparo espiritual cada vez maior dos humanos. Os Lúcifer originais foram lentamente desaparecendo e em seu lugar nasceram híbridos: meio humanos, meio Lúcifer. Esta fusão evolutiva forçou uma decisão por parte dos seres que faziam parte do "mutirão": era preciso resgatar os Lúcifer que estavam presos na roda e ao mesmo tempo continuar a educação dos humanos e isto só seria possível se uma parte deles também encarnasse e tentasse encontrar uma "vacina" para limpar toda aquela bagunça! Os seres que aceitaram esta missão sabiam que perderiam muitos dos seus poderes e teriam que se sujeitar ao novo tipo de vida que levariam doravante. Eles iriam tatear feito cegos até encontrarem as chaves que libertariam a todos daquela experiência. E assim passaram-se as eras e muitos humanos ascenderam, alguns Lúcifer foram liberados, e os demais seres continuaram suas encarnações, esquecendo quem eram e o que estavam fazendo. A memória de toda esta aventura se perdeu com o tempo. Distorções nasceram ao longo deste tempo, os humanos se tornaram cada vez mais sábios e mais conscientes, mas totalmente inconscientes de suas origens. Hoje em dia há extraterrestres "puros", extraterrestres/humanos híbridos e humanos "puros" encarnados entre vocês. Esta mistura resultou numa explosiva aventura no seu planeta e que agora atinge o seu auge nestes tempos em que a Terra entra e sai repetidamente do Cinturão de Fótons.
Na medida em que o planeta entra e sai do Cinturão a energia se tornará cada vez menos densa com a conseqüente ascensão espiritual dos humanos (a chamada Consciência Crística se torna o seu novo estado de ser), o fim dos híbridos e facilitação de atuação dos extraterrestres "puros".
É bom saber que nós, que não somos humanos, não somos melhores e nem piores do que vocês! Somos apenas parte do mesmo Universo! Somos consciências assim como vocês o são, apenas estamos mais "conscientes" daquilo que somos. Nós nos sentimos como pais, pois aprendemos e ensinamos muito a vocês. Tenham certeza que nossa dedicação a vocês nunca foi menor, pois era nosso compromisso desde o início redimir nosso próprio erro! Sim, somos parte de tudo o que ocorreu com vocês e não "arredaremos" os nossos "etéricos" pés daqui até que nosso erro tenha sido corrigido. Cada um de nós cometeu um erro em um momento, tudo isto fruto de nossa ingênua pretensão de sermos maiores do que a Criação. Em alguns momentos nos tornamos deuses e nos tornamos mesmo O Deus. Nós criamos falsas impressões para vocês, deixamos que nos olhassem como seus salvadores, semeamos a guerra, a discórdia, implantamos sistemas de vida os mais estapafúrdios e vocês nos agüentaram o quanto puderam, mas um dia sofremos nosso próprio revés quando vimos que vocês haviam perdido o contato consigo mesmos, que vocês se tornaram seres embotados, refugiados em religiões que misturavam o pouco que ainda se lembravam confundindo-os mais ainda. Com medo das suas reações nós criamos sistemas perversos que os fizeram esquecer o pouco que ainda guardavam, criamos livros sagrados onde estórias verdadeiras se misturavam em meio a outras falsas, fizemos com que acreditassem que eram os únicos no Universo, os últimos.
Aqueles de nós que discordaram deste sistema de vida tentaram de todas as maneiras alertá-los: músicos fantásticos, curadores maravilhosos, artistas impressionantes e muitos outros seres de destaque resolveram encarnar para ajudá-los.
E agora alguns de nós, extraterrestres, estamos ainda encarnados, alguns de nós nem têm consciência de suas verdadeiras origens, mas todos estão empenhados em ajudá-los neste momento.
Nós sabemos que ao lerem o texto acima sua desconfiança sobre nós será muito grande, mas preferimos assim, pois como já dissemos, nós também aprendemos e muito com vocês. Não somos mais mestres e discípulos, somos apenas companheiros de viagens aguardando o próximo passo.
Como foi dito mais acima, para que vocês soubessem se teriam que se apressar para atingir algum nível espiritual até 2012 foi necessário que déssemos uma volta.
Quando os Maias deixaram aqui neste planeta suas informações sobre o tempo, na verdade deixaram uma grande iniciação. Se vocês conseguissem acessar esta iniciação, conseguiriam se preparar para os novos tempos. Está na hora de vocês perceberem que a Era de Aquário não é a Era das Comunidades, mas sim a Era da Humanidade. Observamos que vocês acham que a melhor maneira de encarar estes novos tempos é se embrenharem em matos criando comunidades. Percebam isto: por baixo da Era de Aquário existe a energia de Leão, portanto a individualidade será forte. Trata-se de um tempo em que cada um de vocês aprenderá a entrar em contato com sua verdadeira identidade, trazendo sua contribuição individual para a comunidade chamada Humanidade. Se vocês continuarem a se dividir e a se separarem, continuarão a viver como se estivessem na Era de Peixes. Peixes é a entrega absoluta, a dissolução do Eu, do Ego. O que é um Aquário? Um Aquário só tem graça se nele houver peixes, plantas aquáticas, areia colorida ou não, água e outros seres, se possível. Esta coletividade faz o Aquário. Só que em lugar de criar vários Aquários, é hora de criar um Aquário. Este trabalho não se fará de agora até 2012! Este trabalho se fará e se tornará mais forte a partir de 2012 e até que todo o seu sistema solar esteja completamente imerso no Cinturão de Fótons. Até 2012 não é para vocês se organizarem em movimentos, criar facções, gerar leis que beneficiem uns e outros, mas para aprenderem a acessar suas verdadeiras facetas e se liberarem dos sistemas de crenças e de falsos valores aos quais vocês se apegaram ao longo de sua evolução. É hora de vocês estilhaçarem a falsa imagem que criaram para si mesmos com o objetivo único de viverem melhor dentro da sociedade. Ë hora de convidarem suas sombras para viverem sem medo ao lado de seu lado mais luminoso. Trabalhem-se! Quanto mais vocês se trabalharem, quanto mais vocês rasgarem suas ligações com seus passados, mais difícil será para vocês serem capachos da sociedade em que vivem. Isto não é um discurso de esquerda ou anarquista. Aprendam a se conhecer, a se encarar sem medo. Isto é o que é para ser feito. Parem de se esconder por trás de musiquinhas insossas, de fumaças inebriantes, de sons exaustivamente repetidos. Eles são válidos apenas quando isto te pertence de fato. Não troquem um poder pelo outro, uma prisão pela outra. Procurem seus mestres interiores. Há muitas pessoas de boa índole, mas lembrem-se: elas só servem para fazê-lo lembrar e não para caminhar por vocês!
Lutem pela humanidade aprendendo a lutar pela sua individualidade! Enquanto vocês lutarem pela humanidade lutando pelo poder, tudo ficará difícil! Quando você aprende a lutar por você mesmo, você entende e enxerga seus limites e o dos outros.
Temos visto muitas pessoas se unindo em grupos para meditarem pelo planeta. Isto é ótimo! Mas lembrem-se: não adiantará meditarem pelo planeta se os seus corações abrigarem um ser sem amor por si mesmo! Não se trata de egoísmo ou egocentrismo, trata-se de aprender a se curar...agora!
Muitos que não desejam se curar estão abandonando o planeta. É uma pena pois este é um momento maravilhoso para darem um grande salto!
Nossa ajuda neste momento é baseada na lição aprendida na convivência com vocês! Aceitem-na, por favor! Vocês já atingiram um ponto formidável, agora só falta uma coisa: desapego do passado e de tudo o que se relaciona a ele (medo, intolerância, ignorância, violência, submissão, dissimulação, vergonha, miséria, dor, sofrimento, preconceito, ausência de limites, etc).
É isto o que vocês precisam alcançar agora até 2012! A partir disto é que vocês começarão a viver na Era de Aquário! A Era de Aquário não é uma data, é uma vibração!
Procurem seus curadores, seus médicos, seus terapeutas, seus lugares de poder, suas crenças! Vasculhem tudo isto e descartem aquilo que não serve mais para vocês, lutem com toda força para resgatarem sua verdadeira faceta. O mundo não foi construído para suportar a sua verdadeira faceta e sim para sufocá-la! Sim, nós estamos por trás da idéia do filme Matrix e de tantos outros. Nós usamos a indústria cinematográfica para podermos atingir mais rápido mais pessoas. Olhem além dos efeitos especiais e verão vocês mesmos retratados na tela. Ou vocês acham que aquela estória do menino das mãos de tesouras conta a estória do seu cachorrinho? Aprendam a ler as entrelinhas!
Mensagens como estas estarão sendo soltas por vários canais pelo mundo! Nossa intenção é fazer com que não se desviem do ser que é mais importante neste momento: cada um de vocês!
O que foi contado aqui é um resumo de tudo o que ocorreu neste planeta! Leiam mais! Pesquisem mais! Não se prendam ao que falam por aí afora! Procurem aprender mais sobre vocês mesmos, sobre seu passado! Sobre o que está acontecendo nos céus agora! Procurem saber o que de fato está provocando alvoroço no meio científico! Descubram mais sobre as civilizações maias, caldéias, sumérias, babilônicas, egípcias!***
Este é nosso recado por agora!
Com todo nosso amor nos despedimos!
*Agenda Pleiadiana, de Barbara Hand Clow pode ser uma boa leitura para entender mais sobre o Cinturão de Fótons.
**Terra-Chaves Pleidianas para a Biblioteca Viva, de Barbara Marciniak e Mensageiros do Amanhecer, da mesma autora são excelentes para entender melhor sobre Dna e bibliotecas vivas.
***Rebelião de Lúcifer de Robert Lundlum, Além do Tempo-técnicas de Regressão da Mente/O Olho do Centauro/O Coração do Cristo, de Barbara Hand Clow (uma trilogia), todos os livros de Zecharia Sitchin (recomendo principalmente O Décimo Segundo Planeta), Operação Cavalo de Tróia, principalmente o primeiro volume, todos de J.J. Benítez, A jornada sagrada do Guerreiro Pacífico e O Caminho do Guerreiro Pacífico de Dan Millman, The Book of Enoch From-The Apocrypha and Pseudepigrapha of the Old Testament R.H. Charles Oxford: The Clarendon Press, O prisma de Lira, de Lyssa Royal e Keith Priest.
Todos os livros de Carlos Castañeda e os livros de Roberto Freire(principalmente, Sem Tesão nào há Solução). Há uma coleção de livros de Doris Lessing escritos antes dos seus mais famosos romances que relatam a vida nos primórdios do planeta, infelizmente não sei o nome deles. 
Todos os livros sagrados (incluindo obras do Ramatis) e pesquisas arqueológicas disponíveis, além de boletins extraordinários da NASA.


A Segunda Vinda (2)


por Marco Antonio H. de Menezes

Eu sou Gaia!!!!
Sou o planeta no qual cada um de vocês vivem!!!
Sou uma nave!! Assim como eu, os demais planetas e corpos celestes também o são! Talvez isto mexa com seus conceitos sobre uma nave espacial, mas acontece que uma nave espacial de fato não é um bando de ferros retorcidos e sim fruto de uma consciência ou de um conjunto de consciências. Ela é a materialização daquilo que uma consciência precisa para navegar e fluir através do Universo. Vocês também são capazes de construir suas próprias naves, ou merkabah, mas ainda não sabem como isto é feito. Com o tempo aprenderão, já há entre vocês, aliás, sempre existiram, aqueles que já constróem facilmente seus veículos de luz.
Mas estou aqui para falar de algo um tanto diferente e importante para cada um de vocês.
Vocês, com certeza, já ouviram falar das civilizações como a egípcia, a maia, a dos peles vermelhas, a minóica, a inca e similares. Cada uma delas trouxe para seu mundo um pouco mais de compreensão sobre como funciona o Universo e como vocês se inserem nele.
Todas estas civilizações nasceram da influência e interação entre os seres humanos e os não-humanos. Os seres humanos através dos ritos e lições aprendidas e apreendidas ao longo desta convivência elaboraram conceitos sobre a vida e sobre tudo o que a cerca.
Lentamente vocês todos foram preparados geração após geração para o chamado grande salto quântico pelo qual toda esta parte do Universo passará em breve. Ninguém, em tese, sabe o verdadeiro resultado deste salto, sabemos apenas que será o momento de mais uma expansão de consciência, de uma nova agenda de evolução será enviada a cada um de nós e muitos milhões de anos se passarão até a próxima etapa.
Agora que vocês já sabem mais sobre suas origens e o que aconteceu por aqui ao longo do tempo, vamos nos dedicar a uma civilização, pois ela está atualmente "na boca" de muitas pessoas ditas esotéricas.
Até algum tempo atrás os maias eram apenas uma maravilhosa civilização antiga que deslumbrava os arqueólogos e turistas com suas estátuas, inscrições, sacrifícios, pirâmides e um jogo parecido com o futebol, mas bem mais violento.
De uns tempos para cá graças aos livros publicados por certos humanos, os maias se tornaram uma civilização-chave para o desenvolvimento espiritual*.
Os maias são uma mistura de seres oriundos da estrela Maia - que navega em torno de Alcione, nas Plêiades - com os seres humanos que já viviam na denominada América Central. Estes seres humanos já haviam alcançado suficientes condições para abrigar conhecimento maior.
Originalmente, os habitantes da estrela Maia são conhecidos como Senhores do Tempo ou Guardiões do Tempo. Eles são grandes engenheiros temporais. Suas construções e símbolos são frutos das observações das diversas leis do tempo. Mas, é bom que se diga que tempo, para eles, não tem a mesma conceituação conferida pelos humanos.
Para eles o número treze tem um significado profundo, pois é o número da Criação. Cada número de um a treze é um nível de iniciação.
Segundo a ótica maia quando vocês chegam até o meu corpo atravessam vários portais, um deles denominado Castelo, logo em seguida chegam até o outro portal chamado Onda Encantada e depois chegam ao portal final chamado de Kin. Vocês só podem atravessar por estes portais se houver afinidades entre suas energias. Uma vez aqui dentro do meu corpo vocês são iniciados rumo à maestria máxima. Ao longo de suas vidas vocês terão condições de viver e se desenvolver dentro de suas Ondas Encantadas.
Cada um de vocês nasce sob um Kin e este Kin relata toda a sua capacidade, toda a sua maestria. Em função da própria maneira como a sociedade se arrumou, muitos tiveram dificuldade, ao longo das suas muitas vidas, para explorarem e expressarem plenamente seus verdadeiros potenciais. Por conta disto, poucos foram aqueles que passaram pelos treze níveis de iniciação que é representado pela Onda Encantada.
Pois bem, os maias não foram os únicos a trazerem para dentro de mim este conhecimento e estas iniciações, com as devidas diferenças, outras civilizações também trouxeram para o planeta este conhecimento.
Acontece que com a divulgação e publicação de escritos sobre os maias, com as canalizações recentemente enviadas aos meus quatro cantos, ficou mais fácil e acessível todo o material sobre as iniciações.
Assim, os Maias usam o tempo como uma espiral. Esta espiral é como um grande alinhador de energia dos diversos corpos que se submetem a ela. Quando estamos conscientes desta espiral nos tornamos mais conectados com nosso próprio eixo e com o Universo. Esta espiral é formada por 260 variações de matriz energética que varre cada ponto do corpo que se submete conscientemente a ela, renovando suas informações e criando uma teia de contatos com os seus diversos corpos mais sutis. Cada ser antes de nascer sobre mim viaja ao longo destas espirais, que se subdividem basicamente em 5 níveis (os chamados Castelos) e depois é tragado por um deles, a partir de onde iniciará o seu desenvolvimento espiritual aqui comigo.
Eu também sou submetida a este grande alinhador de energia.
Quando desenvolveram um jogo chamado Telektonon, ficou mais fácil ainda acessarem estas iniciações. Dentro dele vocês passeiam por treze estações repetidamente, chamadas de Treze luas, que são como treze meses, com exatos 28 dias cada uma. A repetição contínua deste jogo faz com que vocês alinhem cada vez mais seus eixos, mesmo que não tenham consciência disto. Paralelamente dentro do jogo há uma etapa chamada de labirinto do Guerreiro, onde vocês percorrem 16 níveis, que nada mais são do que os 16 pares de canais que são permanentemente limpos e abertos por cada um de vocês, permitindo acessar mais livremente o Eu Superior individual, através de seus caminhos neurais no cérebro. Enquanto isto vocês acessam a cada dia uma das 260 variações da matriz energética com suas devidas espirais formadas, gerando campos energéticos que expandem sua consciência, além de perceberem o tipo de respiração energética que está ocorrendo dentro do seu sistema solar. E além do mais vocês reconhecem através dos meses ditos vinais do Calendário Solar ou Haab, a disposição energética que está sendo divulgada pelo Sol para cada um de nós aqui no sistema solar.
Pode parecer complicado, mas na verdade tudo foi montado de uma maneira tão simples que, mesmo que você não tenha consciência de tudo o que ocorre, o fato de diariamente observar cada movimento do Telektonon os torna mais e mais expandidos. Seus bloqueios e crenças são limpos e sua ligação com a Mente Maior é fortalecida.
O Telektonon significa o tubo através do qual a Terra fala. Sim, eu falo e inicio cada um de vocês dentro deste trajeto. É preciso apenas que vocês desejem e eu me comunicarei com vocês, seja diretamente ou através dos sonhos ou de visões.
Mas existe, ainda, uma maneira mais simples que os ajuda a passarem pelas treze iniciações. Quando vocês aprendem qual é sua Onda Encantada, descobrem toda a sua vida e que cada etapa dela é representada por uma das treze principais articulações corporais. O simples fato de tocarem em cada uma destas articulações pronunciando o nome maia de cada uma delas o tornará mais e mais ligado aos seus corpos mais sutis, fortalecendo e limpando os canais entre estes diversos corpos.
Lembrem-se: eu emprestei parte do meu ser para construir os seus corpos e sei muito sobre vocês e das suas reais capacidades. Vocês estão equipados para construírem suas próprias naves e para pilotarem a mim, sua nave maior, seu atual lar. Aprendam a acessar seus comandos de ascensão espiritual e expansão de consciência e aprenderão a me pilotar.
Está na hora de vocês deixarem de ser meus filhos para serem meus companheiros. Os maias já sabiam sobre tudo isto, é hora de vocês descobrirem.
Todo este acesso ao conhecimento espiritual é importante porque vocês estarão atingindo a Consciência Crística, ou a Segunda Vinda! Ela não é marcada pelo aparecimento de um novo Messias ou retorno do mesmo! Vocês serão seus próprios Messias, vocês serão seus próprios Mestres.
Parabéns a todos vocês! Sabemos das suas agruras (eu mais do que ninguém)! Mas sabemos das suas atuais capacidades! Não as negligenciem e nem as deixem nas mãos de outros! Sejam seus próprios Mestres! Este tempo é muito breve, logo as portas se fecharão e um novo ciclo se iniciará. As mudanças a que estarão sujeitos depende exclusivamente da sua vontade de realmente serem donos de seus destinos. Não fiquem aí batendo cabeça ou aceitando a vida como ela é! Fluam com a vida!
Este é o melhor momento para superarem seus piores pesadelos.
Eu sou Gaia, sua nave, seu lar!!!!

* O Fator Maia e Os surfistas do Zuvuya, de José Argüelles.
Kit do Encantamento do Sonho e Telektonon, série de trabalhos lúdicos criados e canalizados por José Argüelles a partir do seu contato com a cultura Maia.
Há, ainda, vários livros publicados falando sobre a cultura Maia, jogos, e o site oficial do Calendário Maia www.tortuga.com .
Há uns poucos livros salvos da época da chacina promovida pelos colonizadores espanhóis quando chegaram ao continente americano. Leiam também livros sobre as culturas indígenas brasileiras (raros), incas, da tradição nativa norte-americana (onde os extraterrestres são chamados de Kachinas, segundo as grandes tradições Hopi, Tewa e Zuni).
E para aqueles que puderem: visitem os representantes e guardiões destas culturas.
Uma coisa é certa: nós precisamos honrar aquilo que somos. É nosso maior bem e o que garantirá nosso desenvolvimento espiritual.




Marco Antonio 8/24/2003 12:21:00 da manhã

segunda-feira, dezembro 02, 2002

Uma gota de óleo num oceano!!!


Olá, humanos!!!
Aqui estamos nós, os animais, vegetais e demais seres nos sacrificando em prol do seu despertar.
O óleo vaza ali adiante no seu planeta, nós morremos e vocês choram.
Seria fácil se fosse só isto. Seria devastador para a vida se fosse só isto.
Só queríamos que vocês se lembrassem do quanto que são importantes para este planeta cada ser, cada vida. Já perceberam quanto tempo gastam para discutir sobre quem deve ser atacado, quem deve morrer, quem deve ser preso, quem deve ser punido?
Quanto, deste precioso tempo, é dedicado a fazer algo de bom por vocês e pelos demais seres deste planeta?
Quanto tempo vocês gastam fabricando armamentos, criando doenças em laboratórios, produzindo alimentos inócuos?
Quanto vale uma vida em vão?
Qual a vantagem de clonar um ser num mundo tão insensível quanto este que vocês criaram? É para ter um espelho que chora suas mazelas? Ou será que é para poderem ter presentes diante de vocês as lembranças das brutalidades que dia após dia vocês têm praticado a si mesmos?
Um sanduíche fabricado no laboratório mais próximo, que vocês chamam de "fast food" ou "junk food" (ao menos ainda há um senso de crítica presente em vocês!), é realmente mais saudável para vocês e para toda a natureza?
Um carro do ano é realmente mais interessante para toda a vida no planeta?
Não pensem, no entanto, que ter um carro, ou comer um sanduíche por aí é realmente letal para o planeta. O problema real não está aí, mas na mentalidade, na intenção que permeia a produção de cada coisa. Não há amor, há lucro! O lucro não é perverso, ele é inócuo, um placebo! Mas, suas mentes...quanta diferença!!!!
O valor total gerado pelos investimentos nas áreas agrícolas, farmacêuticas, de defesa, daria para criar um oásis neste planeta que está agonizando com seu desprezo.
Não pensem que o planeta se intimida por isto! No dia que ele se cansar...ele se sacode todo e lá vamos nós começar outra centena de milhares de anos de evolução.
O amor é que está faltando em cada decisão tomada neste planeta. O coração ainda pulsa em seus corpos, e ele é mais do que apenas uma referência anatômica, é a reprodução exata do que existe no Universo, onde o Amor deve sempre ocupar o meio de tudo, deve ser o ponto de convergência e de origem de tudo. Ele deve impulsionar a irrigação/irradiação de novos conceitos. Nenhum conceito neste Universo está desprovido de Amor, muito menos de Luz.
Que vocês estejam aqui, assim como todos os demais seres, para aprenderem e se desenvolverem, não há a menor dúvida! Mas, será que é necessário repisar tanto cada conceito, será que é preciso transformar tudo em algo tão finamente pulverizado a ponto de causar uma destruição de si mesmos?
Será que a cada dia mais seres, inclusive humanos, precisam morrer em massa para que vocês alcancem algum entendimento maior sobre o que estão fazendo com suas vidas?
Será que vocês são tão insensíveis assim a ponto de não manifestarem nada além de um pesar ao ver milhares de seres morrendo no óleo derramado ali na Península Ibérica? Será que não percebem a inutilidade de se produzir navios ou outras tecnologias mais avançadas para o tráfego de petróleo se não houver consciência? E quando falamos de consciência, não queremos falar de consciência ecológica, pois ela é válida, mas muito pequena. Falamos de Consciência Espiritual.
Quantos seres precisarão usar vocês para canalizar sempre a mesma coisa: "vocês fazem parte do Universo", "não estão sós", "acordem"??
Um dia acertam o edifício, no outro derramam o óleo, no outro dizimam crianças e mulheres indefesas, no outro se matam por alimento escasso, no outro criam doenças absurdas que condenam seu prazer, no outro vigiam seus próprios passos, no outro matam a si mesmos num surto de paranóia e delinqüência E todos apenas choram ou ficam enfurecidos...e mais nada!
Não sobrou um pingo de respeito dentro de suas células pelo que vocês são?
Será que é mais fácil cuidar da doença do que preveni-la?
Será que é mais fácil criar dias que lembram tragédias devastadoras e mostram estatísticas sombrias?
Será que é mais fácil declarar guerra do que realmente evitá-la e cuidar de quem precisa de carinho?
Será que carinho, amor, compreensão, espiritualidade, são algumas das boas coisas que caíram nas más línguas daqueles que só vivem de se alimentar de suas dores e se outorgam poderes vitalícios passados de pais para filhos, de patente para patente?
Acaso esqueceram a quem pertence este Universo?
Esqueceram que vocês são zeladores de tudo em que pisam, em que tocam, que respiram, comem, chupam, bebem?
Será que seus ensinamentos religiosos não trouxeram um pouco de consideração pelo seu papel de mantenedores e co-criadores deste Universo?
Consciência Espiritual faria muito bem a cada um de vocês!
Respeitar cada ser, cada energia, cada mínima partícula deste Universo é uma revolução sem tamanho!
Mas, achamos que isto não seria bem aceito por suas autoridades, pois é possível que não consigam se sentir felizes ao ver vocês entendendo que são livres e que podem cuidar de si mesmos. Este é um conceito tecnológico muito rudimentar para suas mentes altamente sofisticadas!
Afinal...qual o bem que pode haver em pensar no Aqui e Agora? Ou em Amar? Ou em ser feliz com o que se é? Quem seria capaz de achar graça em viver em acordo com sua própria energia e não em acordo com os modismos? Qual a graça em produzir seu próprio alimento? Em andar um dia (ou dois ou todos) descalço pela terra?
Não fiquem melindrados!!!! Afinal, há várias centenas de anos vocês são continuamente bombardeados por conceitos que tentam impedir sua liberdade de viver! Mas acontece que o mesmo número de tempo vem sendo utilizado por vários seres humanos para mostrarem a vocês que nem tudo o que parece...é! Água mole em pedra dura... Vá lá que é pouca água para tanta pedra...mas pelo menos ela está fazendo a sua parte!
Não fiquem apenas chorando por nós! Nós que nos sacrificamos, sejamos nós humanos ou não. Mudem seus sentimentos, seus conceitos internos. Olhem com maior compaixão o mundo onde vivem. Não é fácil, mas não é impossível! A Terra responde na mesma moeda com que pagam para viver aqui! Escolham a moeda com que desejam ver seus pedidos aceitos!
Este é o seu Lar!
E todos nós fazemos parte dele!

Marco Antonio 12/02/2002 03:29:00 da tarde

sábado, janeiro 19, 2002

RECORDAÇÕES DE UM JURAMENTO


Logo quando abri as portas não sabia onde estava e realmente não fazia a mínima idéia de como havia chegado àquele local.
O sol era forte para os meus olhos! Aos poucos acostumei-me com aquela claridade toda e decidi colocar os pés naquilo que parecia ser um jardim composto de árvores (ou seria uma floresta?).
Assim que pisei na terra senti algo acontecer e ao me virar não haviam mais as portas. Eu estava só e num mundo imaginário. Seria sonho? Uma visão? Como sair dali?
De repente eu me vi correndo e sentia que era um índio e meus cabelos eram escorridos até quase os ombros, na testa havia uma tira de pano de cor vermelha, mas bem escuro era este vermelho. Não sabia como era possível isto, mas eu me via e sabia que era eu quem corria. Que loucura!
As árvores eram estranhas, pareciam ter um caule fino, eram longas, grandes, e quanto mais eu corria, mais parecia que eu me tornava como uma delas, me mimetizando nas suas cores, de repente era só rosto, ou só corpo, ou os pés, ou as mãos. Eu só sabia que eu corria e por mais que quisesse ver meu rosto, pouco me era possível ver, para ser sincero...nada.
De repente já não corria, via umas estranhas formações semelhantes a cruzes. Uma delas chamou-me a atenção! Era eu pendurado numa delas, o mesmo índio, com a mesma tira de pano na testa, cabeça abaixada, rosto escondido pelos cabelos pendentes e os braços postos para trás. Eu não parecia preso na cruz, apenas parecia estar pendurado pelos braços. Eu fiquei rodando em torno de mim mesmo e de repente resolvi colocar meu corpo sobre meus ombros. Carreguei e de repente já não estava ali, estava diante de uma fogueira. O corpo que eu carregava agora se estendia deitado sobre o chão e eu preparava meu corpo com ervas. O fogo, as folhas, que segurava nas mãos, o aparecimento de outros seres ao redor da fogueira, como se fosse um conselho de curadores. Eu agitava minhas folhas sobre o corpo estendido. Mais uma vez eu estava me vendo e sabendo que aquele era eu, na verdade eu era, agora, o corpo estendido no chão, o feiticeiro e quem observava. Os outros seres permaneciam imóveis, mas pareciam gerar forças para aquela cerimônia e logo o feiticeiro sumiu. Ficou apenas o corpo estendido no chão, a fogueira era quase um facho de luz e acima parecia acontecer algo: luzes começavam a se formar a partir do céu. Deuses começavam a descer naquele local. Eles iam e vinham sem que se pudesse gravar quaisquer de suas formas. De uma hora para a outra eu sou novamente o homem estendido que agora está sentado com as pernas cruzadas. Seu rosto não me é visível. Ele está com a cabeça baixa. Algo acontece com ele, mas é interno.
De repente, uma figura alta, aparentemente feminina aparece. Ela vem vestida com uma roupa cheia de franjas nos braços. Ela dança uma dança frenética e rodopiante. Aquilo faz o meu corpo se arrepiar da cabeça aos pés. Ela dança como se dançasse dentro de meu corpo, dentro de cada parte do meu corpo. Em seguida ouço lobos uivando! Muitos! Sinto-os vindo em minha direção! Eles se jogam sobre meu corpo, me lambem, me acariciam com seus corpos, brigam entre si agarrados ao meu corpo, esfregam seus sexos em mim. Eles estão me curando tanto quanto a senhora rodopiante.
Tudo se esfumaça e já não há mais lobos. Meu corpo sente os respingos da chuva e ali, quieto e imóvel, eu sinto a chuva cair impiedosamente, vejo poças d'água formando-se e ouço o zunir dos ventos. Continuo imóvel e impassível. Lentamente ela passa e me vejo andando e correndo e muitas cenas se desenrolam céleres por minha mente. Vejo pessoas me abraçando, mulher, filhos, tendas, amigos, conselhos, danças do sol. Imaginação? Verdade? Não sei precisar, minha mente em nada se fixa.
Novo som de tempestade e agora estou dentro de uma caverna. Abrigado da chuva e aquecido por uma fogueira. Logo a chuva passa e já não estou dentro da caverna. Estou, quem sabe, em cima de uma montanha. O céu está estranho. Vozes ecoam pelos céus, não compreendo suas palavras. Mas sei o que são e neste instante eu percebo que estou diante de um fato marcante de minha vida: o dia em que eu jurei defender a Terra. Este dia aconteceu em alguma vida minha. Em alguma parte do planeta. Pode ser naquele local ou em outro. Mas aquela visão me fez recordar de meu juramento solene diante dos deuses e da Mãe Terra. Eu prometera defendê-la e ajudá-la! Eu precisava cumprir minha promessa!
Eu despertei!
(01/01/2002)

Marco Antonio 1/19/2002 08:27:00 da tarde

SOLIDARIEDADE


Solidão é a marca desta época no mundo todo!
Ela surgiu da incrível campanha lançada para separar um ser do outro!
Quanto é difícil para você tolerar a pessoa do sexo oposto por mais de uma noitada?
Você seria capaz de conviver com as diferenças raciais de seu vizinho?
Você respeita a religião de seu vizinho? E a sexualidade?
Você sairia para salvá-lo?
Como você vê o ser humano ao seu lado?
E os que não são humanos?
Você sabe o que significa extinção?
Quem está realmente em extinção?
Você bebe para se sentir enturmado numa festa? Ou mesmo faz uso de drogas para se sentir no "clima" durante uma festa?
O mendigo te causa nojo? Repulsa?
Quantas vezes você se imaginou no lugar dele? E quantas vezes você se imaginou na pele dele e aplicando as soluções que você sempre diz ter para ele?
Quem implantou a idéia de que o outro é sempre um inimigo em potencial?
O outro sempre transmitirá AIDS? E doenças venéreas? E herpes?
Você está no meio de uma guerra?
Sabia que seu cachorro é capaz de transmitir várias doenças? Você já morreu de qual delas?
Sabia que sobre sua pele há milhares de seres microscópicos doidos para acabarem com você? Quantos já te mataram?
Andar descalço pode ser perigoso? Para quem?
E andar nu?
Você nasce vestido?
O que você usa por baixo de suas roupas?
É verdade que só aquele corpo da moda tem direito ao amor, à prosperidade e ao bem-estar?
Todos vivem assim?
Quem dita sua moda?
Você gosta realmente desta calça?
Você realmente sente-se bem com este batom?
Você se sente bem com você? Você já se olhou no espelho hoje?
Você parou de se maquiar e de escovar os dentes diante do espelho e ficou olhando para seus olhos, sua cara, sua boca seu nariz, sua pele?
Quantas perguntas mais você pode ir se fazendo até que perceba que o mundo que criou para você é cruelmente solitário?
O que fazer para torná-lo mais solidário?
Qual a diferença entre ser solitário e saber impor limites?
Você sabe impor limites? Quantos já avançaram suas fronteiras?
Todos sabem distinguir até onde podem chegar? E você? Respeita os limites dos outros?
O que você faz quando está sozinho? Pensa que seria bom estar acompanhado?
Estas e outras perguntas podem ajudá-lo a perceber que um novo mundo pode surgir entre você e o restante da humanidade?
O sol sempre brilha enquanto houver combustível para ele, mas ele está sempre se comunicando com toda a galáxia! Um capim está sempre em sintonia com o Universo! Um pássaro está sempre pronto para começar um dia! E os humanos? São tão diferentes assim?
Vamos mudar isto tudo? E para melhor?
O Amor está em seus corações, sempre!
(01/01/2002)

Marco Antonio 1/19/2002 08:20:00 da tarde

REDIMINDO MARTE!


E assim terminou o difícil ano de 2001.
Não foi um ano muito fácil, regido por Marte, que esteve muito próximo da Terra, com eclipses gloriosos e outros eventos celestes não menos ricos.
Marte fez seu papel, encheu seus corações de coragem e criou uma série de novas provações. Um coração indômito e pleno de compaixão deveria surgir destas provações. Do interior de seu elmo de guerreiro Marte jogou a esmo seus terríveis ataques e ficou olhando para o coração de cada ser humano para ver como reagia e como se sentia diante das novas possibilidades.
As tragédias se sucederam, mas, sem dúvida nenhuma, a mais nefasta foi aquela presenciada ao vivo por milhões de seres humanos na manhã de 11 de setembro de 2001. A dor causada por tal acontecimento atingiu em cheio seus egos e deformou com muita força tudo aquilo que achavam como sendo a coisa mais importante de suas vidas. Foi um choque fortíssimo!
Os seres humanos mantiveram grudadas em suas retinas as imagens terríveis de todo um sonho ser destruído em questão de segundos. A vida parecia não ter mais sentido. As bolsas foram abaladas, as empresas foram fortemente atingidas, os países se sentiram frágeis, suas populações se sentiram vulneráveis. O sentido da vida mudara drasticamente.
Só o tempo poderá, agora, trazer à tona o que seus espíritos estão digerindo nestes momentos. Observem como as pessoas não só compraram menos presentes neste Natal, como se sentiam também sem vontade de comprá-los, de presentear alguém. O dinheiro não sobra mais como antes. As pessoas tornaram-se mais inquietas e um tanto ríspidas. Parece que se culpam ou culpam os outros por se verem obrigadas a detonar dentro de si seus valores.
E Marte não deu trégua!
Criou guerras (sua especialidade, diga-se de passagem!), catástrofes naturais e nada naturais, criou escândalos, mostrou os bastidores do poder como ele nunca havia sido visto. Jogou mais irmãos contra irmãos, jogou intrigas em cima das mesas das famílias, besuntou suas palavras com veneno. Na verdade, Marte nada mais fez do que realçar o que já existia. E o fez bem! Nada ficou subentendido, muito pelo contrário, tudo ficou escancarado, aberto.
Sim, foi cruel a missão do planeta vermelho. Mais cruel ainda foi ver como vocês se sentiram neste ano. Como vocês chegaram ao final do ano com os ombros inchados, estourados, pesados pelos muitos fardos que carregaram. Alguns se arrastavam, outros mancavam e outros, mais heróicos, ainda carregavam nos ombros o amigo que já não tinha forças nem mesmo para se arrastar. Tal e qual naquelas cenas de filmes de guerra.
Alguns conseguiram escapar ilesos, foram os sortudos! Mas foram poucos!
Entenderam agora o que foi que destruiu Marte?
Entenderam agora como se transforma um planeta fértil em um deserto?
Entenderam como é que o poder usurpador pode criar ilusões?
Sintam de novo o ano de 2001 e agradeçam mais uma vez por tudo o que nele ocorreu e peçam com toda vontade do coração um perdão por todos aqueles que foram um dia usurpados pelo poder febril! Perdoem todos os que fazem ou fizeram mal uso do poder! Soltem seus corações! Liberem toda raiva, todo o ressentimento, toda a mágoa, todo o medo! Não tenham mais medo! Tenham agora a certeza que daqui para frente a coragem estará dentro de vocês guiando cada um de vocês rumo a um mundo melhor, sem usurpações. Agradeçam ao Criador pela dádiva de viver este momento único no Universo onde podem redimir tudo o que ocorreu no planeta Marte e tudo o que ocorreu aqui na Terra.
Sejam realmente agradecidos por isto! Sejam bem-vindos a um mundo onde realmente o que vale é o Coração! E do Coração, meus amigos, só pode emanar Amor!
O Amor emana de todo o Universo!
(01/01/2002)

Marco Antonio 1/19/2002 08:15:00 da tarde

O SER DIÁFANO


Num dia claro de sol um ser quase diáfano voou além das poucas nuvens e vislumbrou o dia e todas as coisas que seus olhos multicoloridos poderiam captar.
Voando como só os pássaros o sabem ele sobrevoou cidades e campos, viu rios e lagos, montanhas e mares. Viu homens e mulheres, crianças e adultos e velhos. Viu, ainda, outros seres sutis como ele.
Viu os anjos da saúde criando formas saudáveis em hospitais para tentarem ajudar as almas enfermas, viu anjos entoando louvores ao Senhor em templos religiosos, viu muitos anjos, arcanjos e querubins espalhados e criando novas possibilidades, levando mensagens para os diversos cantos do planeta e até ao Criador. Crianças brincando com seus anjos da guarda enquanto suas mães conversavam ou descansavam ou trabalhavam. Viu muitos seres preocupados em serem gentis com os humanos, mesmo sabendo que não eram visíveis aos olhos humanos. Todos faziam de tudo para criar uma aura mais leve para o viver diário de cada ser humano. Seus trabalhos silenciosos e constantes, alegres e dadivosos, seriam muito bem vistos por muitos chefes. Eles não se cansam e ainda entoam cantos incompreensíveis aos ouvidos humanos, mas que produzem belas formas sutis que envolvem cada ser com a graça e a leveza necessárias para se continuar a viver num planeta que tantas vezes é corrompido pela ausência de mais amor por parte daqueles que nele vivem na forma de terceira dimensão e que se outorgam o título de donos do mundo.
O ser diáfano desliza gentilmente por entre as muitas dimensões e pode ver muita coisa bonita e também coisas nem tão agradáveis.
Ele pode ver a fome, a miséria, o desespero, o desconforto, a doença, a ilusão, o delírio, os vícios, a tristeza, a melancolia, a solidão, o desrespeito, o desamparo, a raiva, a ira, a ganância, a inveja, a podridão, o medo, a sujeira, a mentira, a luxúria, a gula, a loucura. Tudo isto e muito mais ele pode ver com facilidade estampado em seus seres. Como se fossem tatuagens escancaradas para quem quiser ver, todas estas coisas eram visíveis e emanavam energias pesadas cercadas de seres que se deleitavam com aquele banquete sórdido. Suas orações mal conseguiam ir um passo além dos seus corpos fendidos pelas gretas abertas que exalavam um terrível odor de podridão. Suas narinas já nada sentiam, pois a anosmia era geral, uma vez que seus sentidos estavam saturados por tantas emanações desagradáveis.
O ser diáfano se sentiu sufocado diante daquela visão tão sórdida. Ele nunca pensou que os humanos estivessem tão afundados.
Seu coração pediu uma oração por todos os humanos que se apresentavam envolvidos por aquela inquietante visão. Orou bem forte a partir de seu coração e então ao abrir seus olhos viu que uma multidão de seres angelicais e seres de diversas outras áreas começavam a emanar novas energias luminosas para todos aqueles corações e almas enegrecidos. Como se fossem canais se abrindo em meio às nuvens negras, luzes finíssimas desciam sobre cada ser. Mesmo com toda aquela força luminosa, a luz descia com muita dificuldade até os seres. Alguns, tocados por aquela tênue luz se sentiam muito mais leves e agradeciam por isto e procuravam novas possibilidades em suas vidas. Outros imediatamente mudavam de perspectiva e buscavam outros seres que se encontravam nesta situação para ajudá-los a sair daquele triste mundo. Outros apenas viam a luz, mas se fechavam mais ainda, talvez por não acreditarem mais em salvação, ou porque acreditavam que aquilo era obra de alguma ilusão. Estes continuaram a rodopiar por caminhos cada vez mais densos.
O ser diáfano saiu daquele lugar com a certeza de que se mais seres humanos fizessem o que ele fez, a humanidade seria salva. O mundo seria um lugar melhor e os demais seres sutis teriam um pouco menos de trabalho naquele planeta.
O ser diáfano subiu a alturas cada vez maiores e se animou novamente e se desfez, pois já havia cumprido sua missão.
(01/01/2002)

Marco Antonio 1/19/2002 08:09:00 da tarde

SOLARES(2)


Olá, seres da Terra!!!!!
Seu lar é magnífico e isto nos deixa intrigados com uma série de coisas! Uma delas é: por qual motivo vocês ainda preferem destruir este planeta em lugar de admirá-lo e cuidar dele como se cuida do jardim de uma casa? Vocês são preenchidos por alma e no entanto parece que perderam a sensibilidade.
Suas músicas são bonitas, embora hajam aquelas ditas esquisitas, mas ainda assim são bonitas. Vocês pintam quadros muito representativos e se relacionam com a arte com muita facilidade. O que os faz ser tão insensíveis a ponto de se gerar países onde a miséria mata seus habitantes? O que os faz declarar guerra e matar seus irmãos? Quem disse a vocês que uma religião ou língua ou cor ou sexualidade ou seja lá o que for que se diferencie de vocês é motivo mais do que certo para desencadear uma briga ou guerra?
Será que suas descobertas genéticas já não foram suficientes para provar que vocês são idênticos independente das culturas a que pertençam? As diferenças são tão ínfimas que desencorajam qualquer argumento, mas vocês insistem na discórdia!
Que não fosse esta questão genética tão certa, ainda assim há um outro motivo básico para que se respeitem: O Criador! Ele está presente em cada um de nós, sejamos vivos ou mortos!
Quem são vocês para se matarem em nome de um Deus que mal vocês sabem quem é? Quem são vocês para se acharem donos de tanta verdade? Acaso esqueceram que no fundo todos nós somos originários da mesma massa universal? Acaso vocês esqueceram que a mesma força que anima seus corpos é aquela que se entranha dentro de uma rocha ou no oceano? Como podem invocar uma força tão poderosa para justificarem seus desmandos e suas insanidades?
Pensem em seus artistas! Olhem suas obras, saciem-se nelas e percebam o que eles desejam mostrar a vocês por meio delas. Não valorizem o custo da obra, mas a mensagem que está sendo transmitida através dela. Busquem seus artistas onde estiverem e quanto mais ligados eles estiverem às raízes de sua cultura mais farta será a mensagem, o que não invalida a obra daqueles que falam usando a linguagem de outros povos que não os deles.
Construam um mundo melhor falando a linguagem de sua cultura sem se deixar contaminar pela xenofobia. Apenas aprendam os verdadeiros significados da cultura local e mostrem para as demais culturas e troquem informações e hoje isto é muito mais simples. Em lugar de ouvir, ler e ver apenas o que pedem para que seja consumido, busquem ali ao seu lado o que ocorre. A afirmação de suas culturas torna as pessoas mais ricas e prontas para trocarem informações com outras culturas. Só uma estrutura doentia como a que permitiram que fosse montada é que cria a noção de xenofobia e segregação. A cultura da humanidade deve estar acima de suas disputas egóicas e por isto deve-se fortalecer para aos poucos dissolver esta noção doentia de que só a separação é que vale algo neste mundo.
Todo ser humano é um artista nato! Ele sabe exatamente a obra que irá compor ao longo da vida. Este é seu destino: compor com sua vida uma sinfonia ou uma ópera ou um balé! Quanto mais brilhante for a obra, mais perto o artista está de expressar sua verdadeira intenção artística.
Agora, fica a pergunta: a obra que se está criando na vida de cada um de vocês é realmente uma expressão de suas verdadeiras intenções?
Por que será que tantos líderes religiosos e outros tantos seres iluminados que estiveram andando sobre a Terra sempre disseram que a paz começa dentro de seus corações?
Olhem ao seu redor! Desfrutem da beleza que ainda existe e persiste em seu planeta. Percebam como todos os seres se acomodam perfeitamente em seus diversos ambientes. Não há nada de surpreendente nisto. Cada ser sabe sua função e não se esquiva dela. E vocês? Se esquivam ou persistem no caminho original?
Que tal voltar para a obra de arte original? Às vezes só falta um retoque e ela já se apresentará perfeita!
Estejam em paz!!!!
(25/12/2001)

Marco Antonio 1/19/2002 08:04:00 da tarde

SOLARES


Além de toda imensidão do espaço há algo muito mais vasto que é o Criador. Não podemos aquilatar a verdadeira dimensão daquele que chamamos de Criador. Embora O louvemos com palavras muito honrosas, nós sabemos que Ele é um ser multifacetado e que nós todos, sem exceção, somos sua réplica em alma. Nossas energias se difundem por todo o seu jardim a que chamamos de Criação. Um jardim recheado das mais belas e exóticas plantas, animais, e minerais além de seres de outros reinos.
Expressar nossa reverência escrevendo seu nome em maiúsculo é algo digno, mas não podemos olhar o Criador como um ser simplesmente superior. Ele é um ser que contém a todos nós, mas ao mesmo tempo é um ser presente em todos nós. Ele é igual a nós e aprende com nossas experiências, tal e qual uma criança aprende com a exploração do seu mundo a reagir e a agir. A inteligência da criança atinge seu nível máximo quando ela explora tudo ao seu redor e aprende a diferenciar as diversas coisas que a cercam, mesmo que não saiba ainda qualificá-la com as palavras.
Em lugar de olharmos para o Criador com olhos simplesmente tementes ou mesmo num olhar que olha de baixo para cima, devemos nos alegrar em senti-Lo em nosso corpo seja ele denso ou mesmo sutil.
Aqui neste texto estamos usando vez por outra o maiúsculo ao se referir ao Criador apenas para fins de reconhecimento de sua mente humana de terceira dimensão. Mas Ele nem precisa disto. Está infiltrado em toda a Criação e por isto não se faz necessário um arauto para anunciá-Lo aos quatro ventos.
É muito comum pessoas se esgoelarem para falar com o Criador. Não é necessário, pois uma vez que ele permeia toda a Criação e é tão íntimo de nossa vida torna-se desnecessário o uso do grito. O Criador é benévolo com todos e atende a todos. Mas, aqui não vai nenhuma crítica para a sua maneira de reverenciar o Criador e sim uma lembrança. O importante não é se você invoca o Criador com voz alta ou baixa, ou no banheiro ou em um templo, o importante é a intenção com que faz isto e a fé que carrega durante este processo.
Talvez você já tenha ouvido falar que mais vale uma oração feita de coração do que várias repetidas sem qualquer emoção ou sentimento.
Suas preces de fato serão atendidas com rapidez na medida em que seu coração participa delas, pois o Amor é o ponto de união de toda a Criação. Este amor é o amor que você emana da sua invocação unido ao amor pelo Criador e/ou ao amor que envias a uma pessoa por quem se ora (mesmo que seja por você mesmo!). O fato de orar faz de você um canal das vibrações superiores. Elas não são superiores porque estão acima de você, elas são superiores apenas porque estão em um nível mais sutil do seu próprio campo e do próprio campo da Criação.
A maneira como o Criador responderá a cada invocação sua dependerá do momento criativo que se apresenta. A velocidade também variará, mas em acordo com uma série de fatores. Com certeza tão logo a oração seja proferida com a força do coração, ela chegará aonde se deseja e logo se transformará numa bênção que chegará a você das mais diversas formas e no momento mais adequado.
Uma série de eventos são desencadeados no momento em que uma oração é proferida por alguém. Imagine a complexa rede que se forma ao redor do planeta por conta das várias orações proferidas por milhares de pessoas. Isto cria novas energias e novas possibilidades e novas interligações. Novas portas são abertas! Imagine que, de repente, duas pessoas estão pedindo, através de orações feitas em pontos diferentes do planeta, por algo similar. Agora, imagine que o pedido de uma pessoa é a resposta para o pedido da outra. Logicamente isto criará uma união inesperada na vida de ambas que se concretizará na forma de um contato qualquer entre as duas. Fica fácil imaginar o quão complexa é esta rede de orações!
A oração é um alimento para as almas, pois é como que se abrisse um facho de luz em meio à escuridão em que se encontram uma série de almas. É uma maneira de se reencaminhar almas que vagam perdidas pelo espaço sutil. Quanto mais fachos de luz se cria, mais facilidade os curadores terão para reencaminhar os seres para a Luz. Mais leve se torna o trabalho das hostes de seres sutis que agem incessantemente por todo o Universo com o intuito de ajudar os seres que se encontram perdidos, incapazes de perceber que seu tempo na Terra se esgotou há muito ou mesmo incapazes de se desgrudarem do mundo denso mesmo sabendo que já não fazem mais parte dele.
O Universo agradece a quem ora com o coração!
(24/12/2001)

Marco Antonio 1/19/2002 07:58:00 da tarde

SEM NOME(2)


Olá!
Para que tanta guerra, heim?
Qual a vantagem em mostrar a alguém que se é capaz de assassiná-lo ?
Qual a vantagem em mostrar seu poderio militar para o mundo?
Qual a vantagem em morrer esfomeado?
Qual a vantagem em morrer de uma doença?
Qual a vantagem em sustentar governos corruptos?
Qual a vantagem em tentar o controlar a vida dos cidadãos?
Qual a vantagem em discriminar as pessoas?
Afinal, o barco não é o mesmo?
Como dizem por aí: não vão todos para debaixo da terra da mesma maneira?
Quem falou que ser poderoso é uma vantagem?
O que se ganha com isto?
Matar é prazeroso?
E amar?
E estuprar?
E acumular fortunas?
Por que fazer tanto drama?
Não é mais fácil reunir os recursos e ajudar os desfavorecidos?
Não é mais fácil ajudar o mundo a chegar a um estado de paz?
Os governantes são tão insensíveis a ponto de não perceberem as diversas faixas e movimentos pela paz?
Será que tantos milênios repetindo a mesma arenga não cansa?
Quando será que vão respeitar o próximo?
Pensem nisto, se quiserem!
(22/12/2001)

Marco Antonio 1/19/2002 07:51:00 da tarde

O UNIVERSO(2)


Olá!!!!
O mundo está passando por uma forte mudança nestes tempos em que nos encontramos. A contagem do tempo aí na Terra é diferente da nossa, mas ainda assim podemos sentir a enorme vibração que a sua aproximação do Cinturão de Fótons está provocando. E esta vibração anuncia para nós um novo tempo.
Estamos nos aproximando do fim de uma era e do início de um novo ciclo. Ainda há muito chão pela frente, mas agora é tudo muito rápido, pois este é momento de descarte de cada um de vocês.
Este descarte vem acontecendo nos últimos 30 anos e tem se intensificado a cada ano.
Este descarte é feito de diversas maneiras e todos vocês podem sentir em suas vidas os resultados deste descarte. O aumento da violência, a grande incidência de doenças e ao mesmo tempo o aumento de novas técnicas de cura, seja na área alopática ou em áreas menos ortodoxas. Um aumento das intransigências, um conflito mais intenso entre as gerações, um buraco cada vez maior separando as pessoas em acordo com suas crenças. O mundo sob este ponto de vista parece um caos, mas para ser sincero: é!
Este caos esteve circulando por toda a humanidade por muito tempo, explodiu por diversas vezes nos últimos 5.200 anos, gerando guerras, conflitos, cisões, doenças e toda uma série de desequilíbrios que na verdade foram gerados por distorções as mais diversas absorvidas por cada ser humano.
O ser humano é uma mistura de diversas raças oriundas de diversas partes do Universo e isto não deveria ser surpresa para ninguém, no entanto ainda hoje é um tabu para todos. Suas religiões escondem isto de vocês e é bem possível que a partir deste ponto você decida desistir de ler este texto por conta das muitas coisas erradas que andaram ensinando a vocês. Mas lembrem-se de que foram vocês mesmos que aceitaram fazer parte deste jogo e cabe a vocês se ajudarem para saírem dele com a cabeça erguida, pois foram mestres no que fizeram e comprovaram suas capacidades nos extremos. É hora de voltar para o Lar!
O Lar não está em algum lugar distante do espaço, mas dentro de vocês mesmos. Suas diversas crenças interiores, seus diversos conhecimentos interiores precisam voltar para a superfície de vocês, mas antes que isto ocorra será necessário descartar as inverdades que acumularam ao seu redor. Foram anos de dominação e de mentira. Não se pode expressar o que se é sem antes passar uma verdadeira lixa ou um potente aspirador em suas almas, em seus corpos.
O mundo em que vivem é propício nesta época para este descarte. Ele nem precisaria ser tão forte e violento, mas acontece que o acúmulo foi grande e a demora também. Então agora todos estão envolvidos em jogar seu lixo fora e neste quadro o que vemos realmente mais parece o caos. Pois foi no caos que viveram nestes anos todos, gerações após gerações.
Este é um grande momento para perdoarem e agradecerem, para pedirem perdão por tudo o que andaram fazendo neste planeta. Não é apenas falar isto da boca para fora ou correr para o templo mais próximo e rezar uma oração e achar que a missão está cumprida, ou mesmo dar uma "grana" para uma instituição de caridade ou uma criança abandonada. É muito mais!
Vocês não fazem a mínima idéia do que foram em outras vidas, do que fizeram em outras vidas! Suas instituições não permitam que vocês o saibam! Sabem que se isto chegar ao seu conhecimento elas perderão sua força, mas acontece que já é tempo de dar um basta a toda esta ignorância. Um basta que não é feito de guerras e mortes, mas de uma evolução e revolução interna.
É hora de olharem para vocês, desligarem seus televisores, perderem aquele programa divertido na esquina e começarem a "curtir" mais o que são. Tudo bem, ninguém é de ferro, vez por outra vocês podem ver a televisão e dar uma saidinha, mas uma advertência se faz necessária: você vai se sentir cada vez mais estranho diante de tudo isto quanto mais aprofundar em si mesmo! Afinal, olhar para aquilo que vocês são, perceber suas riquezas interiores vai deixar vocês mais maravilhados do que poderiam pensar, mas em alguns momentos a coisa pode pesar e será melhor aliviar o cinto. O humor será mais do que necessário! O apoio das pessoas próximas poderá faltar, pois elas não entenderão o que se passa a menos que elas também entrem neste mesmo "spa". Mas se for possível ter o apoio de pessoas as mais diversas será melhor, pois a situação nem sempre será confortável e um colo ou uma palavra amiga pode surtir um efeito extraordinário.
O problema maior é que na medida que vocês avançam nesta viagem ao centro de si mesmos poderão se deparar com uma extraordinária resistência do mundo exterior. Pois se vocês vão tomando conhecimento de quem são, vocês se tornam mais livre e isto não agrada a quem detém o poder neste mundo. Cordeiros serão sempre bem vindos a este planeta, já as ovelhas negras...
Mas uma coisa é certa: melhor do que se afundar em entorpecentes e outras drogas, legais ou não, será vocês aprenderem a ter mais consciência e responsabilidade por quem vocês são! Saber que em certos momentos vocês não são tão santos, que existe um "lado negro da força" habitando seus interiores trará...muita confusão. Tornar-se-á necessária a ajuda de terapeutas e pessoas que realmente estejam habilitadas para lidarem com estes casos. Busquem os métodos alternativos para a cura, mas antes de mais nada tomem muito cuidado, pois nem sempre as pessoas que lidam com métodos alternativos são éticas. A ética duvidosa das pessoas que atualmente habitam o mundo torna necessária uma redobrada atenção! Não descartem nem mesmo os métodos alopáticos e a medicina ocidental. Apenas sejam mais seletivos, lembrem-se de que vocês querem é se descobrir e não se entupirem de remédios que impedem que sintam o que realmente se passa dentro de vocês.
Sem qualquer dúvida, muitas doenças já teriam sumido se não fosse toda esta aventura que vocês decidiram encarar! Agora o mundo inteiro está se livrando destas doenças, de sentimentos que foram impostos e de outras muitas coisas numa catarse coletiva. O ar está cheio destas emanações e este é um tempo em que tudo é acelerado. Imaginem agora o que é este mundo acelerado fazendo vibrar em maior velocidade todas estas emanações! Um caos! Mas, é assim! O mundo precisa deste caos! Mas não para sempre!
Mas repetimos: agradeçam e perdoem! E peçam perdão! Façam isto com o coração e começarão a sentir um grande alívio em suas almas. Olhem os acontecimentos com outra mentalidade! Procurem observar se há alguma sincronia entre eles. Percebam quantas vezes um determinado evento acontece em suas vidas! Será mero acaso? Como vocês respondem a eles? Como encaram a pessoa que está na sua frente? E a que está atrás? E a do lado? E a que vocês não estão vendo? Vocês agradecem pelo dia que tiveram? Ou por terem aberto seus olhos no dia de hoje? Vocês agradecem a dádiva de acordar ao lado de alguém? Ou de ter uma criança? Vocês já sorriram hoje? Como está sua saúde? O que vocês comeram ontem? Agradeceram por todas pessoas que de alguma maneira ajudaram a fazer com que aquele alimento chegasse até suas mesas? Agradeceram ao Criador? Agradeceram à Terra? Agradeceram aos seus antepassados?
Estas perguntas podem provocar uma risada em vocês, mas percebam isto: se algumas delas trouxeram um certo embaraço a vocês, que tal remodelar? Que tal começar agora uma nova vida?
Estejam em paz!
(21-22/12/2001)

Marco Antonio 1/19/2002 07:49:00 da tarde

O UNIVERSO


Salve!!!!!
Aqui do outro lado as coisas são mais agitadas e perigosas do que podem supor.
A diferença é que estão todos em pé de igualdade. Todos estão em espírito, sem a densidade da carne.
A ignorância da luz que se espalha entre vocês traz uma dificuldade maior ao panorama restrito em que se encontram.
Num lugar onde o amor e a luz são artigos raros e de difícil entendimento, não é fácil sobreviver e mesmo suportar todos os testes.
A vida na Terra, no entanto, é uma grande dádiva e um momento sublime dentro da Criação. Aqueles que aqui encarnam sabem de antemão que nada será em vão como de resto em qualquer outra forma de experienciar o Universo. Muitos são os motivos que levam uma alma a encarnar por aqui. Antes que a encarnação por si mesma ocorra há toda uma série de escolhas a serem feitas, desde a família que a receberá até o último suspiro antes de morrer.
Uma vez aqui na Terra a alma encarnada sujeita-se a uma série de eventos que a ajudarão a crescer e sair desta experiência um pouco mais limpa. Bem, isto seria o ideal.
O fato concreto é que devido às diversas complicações que a própria humanidade se impõe, as almas acabam por tomar rumos um tanto diversos dos antes planejados e não raro enveredam por caminhos que só fazem aumentar seus fardos em uma escala insuportável. Não é difícil saber porque tantas pessoas tornam-se loucas, viciadas e doentes.
Com sistemas de crenças que raramente ajudam no seu crescimento espiritual, uma sociedade organizada para impedir a alegria de experimentar e governos interessados em controlar suas populações a pessoa tem mais é que achar este mundo chato. É muito difícil mover-se em meio a esta cacofonia. Tudo aqui gira em velocidade muito baixa, a espiritualidade é convertida em crenças nefandas onde a energia é roubada por meio de cerimônias duvidosas sem qualquer reverência pela Criação e pelo Criador. Roubam a deliciosa sensação de descobrir o mundo por meio do contato com toda a Criação.
O que significa estar em contato com a Criação?
Olhem para as crianças! Elas sempre serão um modelo delicioso sobre como devemos agir. Sua capacidade espiritual é muito maior, por ainda estar imaculada. Na medida em que uma criança vai avançando pelos anos vindouros ela vai perdendo espontaneidade e passa a ser cooptada pelos diversos sistemas que existem neste planeta. Sorte daquelas crianças que caem em meios familiares um pouco mais compromissados com uma vida mais elevada.
Entendam uma coisa: o fato de alguém viver entoando mantras a torto e a direito não é uma certeza de ela ser melhor ou pior. O sentimento com o qual ela entoa este mantra é que fará a diferença. Assim como o hábito não faz o monge, o fato de alguém viver em um meio de altíssima espiritualidade não a fará melhor do que ninguém.
A vida é uma contínua experiência e se não nos furtarmos de tocar cada nova opção que se apresenta na nossa frente teremos muito a crescer. Quando experimentamos nós realmente abrimos mais e mais nossos horizontes e detonamos nossos preconceitos. Não é uma atitude fácil, mas é aquela que carimba nosso passaporte para níveis cada vez mais elevados.
O que é um nível mais elevado?
Não se trata exclusivamente de sair flutuando, embora até possa. Trata-se de enxergar a vida de uma dimensão mais larga e com olhos mais compassivos, pois se seu coração está aberto para o que vier, você temerá cada vez menos e cada vez mais partilhará seu pão com os demais.
É aquela pessoa que age com fé inabalável nas suas crenças interiores e constrói um mundo cheio de amor, mesmo que tenha tudo e todos contra si. É aquela pessoa que sabe o valor da existência de cada vida presente neste planeta. É aquela pessoa que abriga sob suas asas as pessoas como elas são e não como acham que deveriam ser. São aquelas pessoas que lutam por um mundo mais equilibrado, harmonioso, amoroso, cheio de oportunidades criativas. São aquelas pessoas que realmente enxergam em tudo o Criador e agradece de maneira pessoal o fato de estar podendo ter esta visão.
Isto tudo não depende de uma pessoa estar professando esta ou aquela crença, pois o caminho que leva o homem a um melhor entendimento de si não é feito por uma via exclusiva. Deste modo ninguém ou mesmo nenhuma crença detém em seu poder o verdadeiro caminho, pois este quem desenha é o próprio indivíduo. Olhem para seus templos durante seus cultos e percebam com o passar dos tempos quantas pessoas realmente estão crescendo. É muito comum que nem 10% daquelas pessoas estejam em um nível maior desde que começaram a professar uma dada religião. Isto é causado principalmente porque as pessoas que ali estão entendem a religião apenas como um lenitivo, uma fuga momentânea de seus problemas. Poucas fazem de sua religiosidade um momento para abraçar a vida com forças renovadas. Se isto ocorresse com mais vontade, talvez seus templos hoje fossem apenas um lugar de passagem, onde a pessoa seria iniciada e em seguida passaria para o próximo nível, como eram as antigas escolas iniciáticas.
Se os pais enxergassem seus filhos como almas e não como posses saberiam preparar melhor seus filhos para o que a eles é reservado e teríamos menos consultórios psiquiátricos ou similares abarrotados de gente querendo se livrar de traumas.
A vida é simples, a complexidade reside em saber que cada um de nós é uma experiência ambulante. Nós não somos seres uniformes. Somos indivíduos e somos partículas do Todo Maior e deveríamos respeitar isto acima de toda instituição terrena. Se os homens respeitassem tal fato, suas instituições não seriam locais de coerção de suas reais virtudes e sim um local que realmente incentivaria cada ser a mostrar a sua individualidade. Em lugar de incentivar a competição e a separação, poderiam incentivar a união. Lembrem-se: seus corpos são frágeis, suas vidas são tênues! Para que desgastar esta centelha com noções errôneas? Para que impedir as verdadeiras vocações que surgem em seus corações? Para que mentir tanto sobre suas origens? Qual a vantagem de se manter todo um grupo de pessoas preso a uma série de mentiras? Para que controlá-las? Por que atrasar a evolução do planeta?
Percebam isto: a negatividade estará sempre presente neste ciclo atual do mundo. Seja aí na Terra ou aqui do outro lado. O que fará a diferença é o quanto cada um de nós é capaz de enxergar além do controle, do poder, do ódio, da inveja, do ressentimento, da ira, da dor, da tristeza, da melancolia e de tantas outras ilusões que nos cercam.
Todos nós queremos um mundo melhor, mas tudo depende da maneira como estamos desenhando o mundo neste exato momento. Tudo depende de como você está desenhando sua vida neste exato momento. Sua vida é muito importante para o Universo. Nunca acredite no contrário!
Estejam em paz!
(21/12/2001)

Marco Antonio 1/19/2002 07:41:00 da tarde

SEM NOME


Acima de tudo...amor!
Um coração pleno de amor é um coração leve, cheio de vida e de alegria.
Um coração que pulsa em comunhão com o Universo é um coração que aceita servir incondicionalmente.
Um coração que ama ao próximo sabe amar a si mesmo antes de mais nada.
Um coração que expressa seus verdadeiros sentimentos é uma morada digna dos mais puros desígnios do Universo.
Um coração que ama é criativo e louva incessantemente o Criador com sua capacidade de recriar passos, mas trilhando novos caminhos.
Um coração compassivo não manifesta nada além de uma enorme vontade de abraçar o mundo e se sentir amado por ele (embora ele já nem mais almeje isto, pois isto acontece naturalmente!).
Um coração amoroso sabe apenas amar o agora. O antes e o depois são apenas momentos de amor que se agrupam a cada dia mais, mas não pesam e não preocupam.
O amor não é santo! O amor ofende e é ofendido, o amor corrompe e é corrompido! O amor almeja cada vez mais e é desejado! Enfim, o amor não é algo certo, sendo antes duvidoso, incerto e muito pouco compreendido.
O amor não é só palavras bonitas, só corações embevecidos, atos heróicos, olhares perdidos! O amor é loucura em tempos de paz! Uma guerra incessante de lábios, de toques, de desejos, mas também de pensamentos, de vontades, de perdões, de agradecimentos, de fé...
O amor não é só prazer carnal, não é só batimentos acelerados de amantes! Amar é antes de mais nada saber que tudo é perfeito no momento em que acontece. Sem retoques!
O negócio que não foi fechado, a luz que pifou, o carro que bateu, a doença que agravou! Tudo é feito em nome do amor. Por trás de cada ato há um amor infinito, regendo tudo.
O amor é algo que se move em meio aos medos e desesperos! Ele ama cada ato ruim e bom! Não julga, apenas flui.
As escolhas não são o território do amor, mas conseqüências! Mas até aí o amor é paradoxal, pois se ele está presente em tudo, como distanciá-lo das escolhas? Como não perceber o amor que vai em nossos corações e em nossas mentes no momento em que escolhemos este ou aquele caminho?
O amor é tudo, enfim!
E se o amor é tudo, como podemos odiar? Como podemos matar? Como podemos julgar? Como podemos invejar?
Simples: este é o amor que habita cada um dos corações!
O amor é fruto exclusivo de nossa evolução! Como vemos o amor, assim o expressaremos!
Lembrem-se: o amor nunca esteve distante de nós! Nós o vemos como queremos!
Desabrochemos cada momento com uma nova perspectiva do amor! Procuremos amar cada idéia, cada ato, cada visão, cada gosto, cada palavra, cada som. Percebamos como pode ser a cada momento melhorado o amor sentido. Aprendamos com o amor! Almejar o amor genuíno não é algo que se faz da noite para o dia, num estalar de dedos! O amor genuíno escapa por cada momento que não nos deliciamos, que não percebemos, que não sonhamos, que não aproveitamos! O amor genuíno desabrocha quando decidimos a cada momento sermos mais atentos e aproveitarmos mais!
Alguém já notou como o mundo em que se vive parece sempre impedir a contemplação de tudo o que estamos fazendo? Não é parar para meditar e olhar o que se faz, mas simplesmente ser atento ao que se faz e olhar com olhos de quem se apaixona por cada ato, por cada nova possibilidade, ser inocente como uma criança que descobre e se maravilha com o mundo ao seu redor. As crianças não se importam com os resultados, elas apenas sabem que há algo na sua frente e que aquela é a oportunidade certa para aprender sobre aquilo, para se deliciar com aquilo. Ela não sabe o que é perigo, não sabe o que é certo ou errado, o que mata ou o que morde. Ela experimenta! Estas experimentações permitem a evolução da criança e...o desespero dos pais! Mas isto é a vida! A vida não é uma apólice de seguros! A vida é experimentação! O amor cresce com a experimentação!
Experimentemos isto!
Com todo amor!
(12/12/2001)

Marco Antonio 1/19/2002 07:32:00 da tarde

SORRISO


Sim, o mundo é muito maior do que podemos pensar com o auxílio da parca condição humana. Não é maior em tamanho, profundidade, altura, largura e outras formas mensuráveis que são facilmente apreendidas com os olhos humanos.
O mundo é maior porque nele interpenetram muitas coisas. Ao contrário daquilo que a física afirma, dois ou mais corpos podem habitar o mesmo espaço ao mesmo tempo. O tempo mesmo é uma medida muito diferente daquela que pode ser concebida pelos relógios. O tempo depende exclusivamente da nossa consciência e é ela que determina o espaço que ocupamos neste mundo. O tempo e o espaço são medidas muito mais maleáveis do que ensinam em suas escolas.
Para mensurar qualquer coisa sobre o Universo devem olhar com outros olhos o que aprendem nos bancos das escolas ou jogar tudo fora e recomeçar ou se nunca aprenderam algo por lá...tentem apreender o mundo com aquilo que acham ser o certo.
O certo e o errado é um jogo divertido criado para lugares como a Terra. Você hoje mata pelo mesmo motivo que amanhã o salva ou será morto. Uma lei de um dado país não se aplica ao país vizinho. O hábito de uma região pode ser considerado nocivo em outra. O que hoje é certo amanhã será considerado muito errado. Esta ambivalência, este paradoxo que visita suas vidas a cada momento é fruto de algo muito maior. O fato de pertencermos ao Universo, e não exclusivamente a um dado planeta. As leis do Universo são aparentemente caóticas, pois elas, no seu aparente caos, permitem que novas possibilidades sejam concebidas a cada instante. Isto é Criar! Proibir é cercear a Criação ou uma maneira de levá-La para um novo ponto ou paradoxo?!
Vamos começar por um ponto que seja pacífico? Se nós considerarmos que nos originamos todos de um mesmo ponto e que somos parte integrante deste ponto e que não somos inferiores e/ou superiores a este ponto...vamos escrever daqui para frente tudo em minúsculo, respeitando apenas a pontuação que marca o final de uma frase, certo? Ok!
Voltando para a pergunta: Proibir é cercear a criação ou uma maneira de levá-la para um novo ponto ou paradoxo?! Proibir, assim como todo e qualquer ato, é algo criativo! Matar também o é! Odiar também o é! Mas, agora vamos para o lado "sermântico"* da coisa toda: se você puder obter resultados melhores de uma maneira menos agressiva porque usar algo tão mais pesado? Bom, depende da sua evolução, depende do que aquele momento pede. Tudo no universo tem proveito! Mas, use o melhor de si e você obterá resultados melhores! Procure olhar a vida com olhos mais tranqüilos! Tá difícil? Que tal se encarar cada acontecimento como se fosse parte de uma peça teatral e cada pessoa como um ator? Como está sua atuação? Que tipo de personagem você é? E os que te rodeiam? Que motivações esta peça traz para seu personagem? E para os demais? Brinque com esta idéia até se cansar e veja como a vida pode ser mais divertida!
A comédia e a tragédia não são o símbolo do teatro? Por qual motivo, heim?!
O universo é rico em possibilidades, como já foi dito, e você pode facilmente usufruir desta prosperidade, mas será preciso primeiro encarar que cada coisa no mundo tem um motivo certo para estar se encaixando. Não importa qual seja! Ou você acha que a mulher ou homem da sua vida está fazendo sexo com você só porque você é bonitinho ou tem dinheiro? Foi bom, meu bem? Será melhor ainda se você aproveitar o momento e deixar de lado seus temores. A vida é uma sucessão de eventos, uns você agarra e outros agarram você! Você ri? Encare da seguinte maneira: nada é absolutamente do jeito que se apresenta! Leia o exemplo abaixo!
Um homem ou uma mulher feios podem se apresentar no momento em que você está com o maior tesão! Ou você deixa de lado os conceitos estéticos e vai saciar sua sede ou procura outra coisa para fazer! A sua escolha refletirá como você pode agir em situações em que a estética pode atrapalhar a completa satisfação de um desejo seja ele sexual ou não! Ou sua escolha refletirá sobre as suas reais necessidades: você está realmente com tesão ou está apenas refletindo um ideal amorfo coletivo?
Voltamos ao início! O universo é maior do que podemos mensurar com nossos sentidos humanos, mas pode ser experimentado com facilidade por eles. Nossas respostas não são certas ou erradas! Elas são aquelas que se adequam ao momento. Quanto mais você apreende no seu viver diário, maiores são as probabilidades de você encarar o mesmo evento sob óticas cada vez mais diversas. Não há novidades nisto! O problema é que você foi tão moldado por padrões familiares, sociais e religiosos que acaba se tornando muito mais exaustivo viver. Sua sociedade foi feita para castrar você, mas lembre-se que cabe a você mudar isto! Você muda quem você é e isto vai fazer com que o seu redor mude! Nunca tente simplesmente mudar o externo sem mudar antes o interno! Quando você muda o seu interior você muda o exterior, mas não por vontade de mudar o exterior, mas porque o exterior é simplesmente um apanhado de experiências e cada experiência nova se cola a ele. Em outras palavras: você muda e esquece que queria mudar o mundo e aí o mundo muda!
Simples como girar uma roda!
Agora...adeus!

*"sermântico" = a algo equivalente a passar um sermão.
(10/12/2001)

Marco Antonio 1/19/2002 07:25:00 da tarde

OS ERRANTES


Estamos aqui!
Houve um tempo em que era uma glória para todos nós andarmos por entre as florestas e campos, ouvindo os diversos sons proporcionados pela natureza. O cruzamento dos sons com as imagens produzia em cada um de nós uma torrente de sentimentos e emoções que levava-nos a criar novas coisas. A natureza era nossa ferramenta e ao mesmo tempo nossa inspiração. De tudo que nela havia tirávamos proveito. Tudo era aproveitado, mas nada era usurpado, pois respeitávamos os ciclos da natureza e sabíamos que éramos parte dela. Este respeito mútuo permitiu-nos entrar em contato com os mais profundos segredos da natureza. Nada era extraído contra a vontade. Se precisávamos nos agasalhar, os animais nos ensinavam a tirar proveito de suas peles. Se precisávamos comer, os seres dos diversos reinos se ofereciam para saciar nossa fome. Observando a natureza aprendíamos a nos reconhecer, respeitávamos as diferenças, sabíamos nos reconhecer nas nossas diversas naturezas interiores. Ao olharmos para nossos interiores aprendíamos muito sobre nós e respeitávamos melhor quem estivesse ao nosso redor, pois se percebíamos nossas fraquezas e virtudes, sabíamos que o outro não era superior ou inferior a nós e estava de alguma maneira em fase de descobertas também e por isto aproveitávamos para trocar idéias sobre tudo e isto enriquecia nossas experiências e inspirava nossos futuros passos.
Um dia nós perdemos este exercício! Deixamos de respeitar a natureza, começamos a achar que éramos maiores do que ela, que poderíamos dominá-la. Descobrimos que poderíamos ser mais poderosos do que ela e por fim, num reflexo natural, percebemos que o outro poderia ser dominado. E do respeito passamos para o medo. Passamos a temer o outro, passamos a achar que o outro não poderia saber nada sobre o que se passava dentro de nós. Descobrimos a desconfiança. Não olhávamos mais nos olhos do outro com medo de que ele percebesse nosso medo e nos dominasse. Passamos a nos concentrar não mais no crescimento interior, mas na conquista desesperada de maneiras e idéias que nos tornasse superiores ao outro. Nos tornamos ricos e poderosos externamente. Já não nos avaliávamos pelo que éramos, mas pelo que temíamos que o outro poderia ser. As sombras da noite tornaram-se tenebrosas, macabras e descobrimos a morte. Agora éramos assassinos. O outro poderia ser morto sem necessidade de tirarmos proveito dele, bastava um gesto ou olhar estranho, um único movimento suspeito. Já não éramos irmãos, mas somente inimigos! A natureza tornou-se nossa escrava e escravizamos quem estava ao nosso lado. Achávamos que poderíamos usar exaustivamente tudo o que a natureza nos fornecia antes de bom grado. Passamos a criar animais e a plantar vegetais. O que crescia tão somente para o prazer imediato agora poderia ser degustado com volúpia e sem necessidade. Criamos a fome e a pobreza! Nos tornamos insaciáveis! Os animais fugiam de nós. Os pássaros agora só cantavam para alertar aos outros seres nossa aproximação. Uns se ofereciam em sacrifício para nós com o fim exclusivo de permitir que seus irmãos animais fugissem para lugar seguro. Tornamo-nos sanguinários! Começamos a sofisticar nossas caças a fim de superar nossas deficiências frente aos animais. Criamos aos poucos aquilo que hoje chamamos de tecnologia. Com a tecnologia poderíamos matar tudo o que estivesse na nossa frente, inclusive a nós mesmos. Nossas obsessões transformaram-se em doenças. Nossas doenças passaram a se transmitir por gerações. Dos animais mortos sem necessidade vieram as doenças e elas se propagaram na medida em que nossa tecnologia se expandia e chamamos a isto de progresso. Os vegetais apodreciam nos pés vítimas de pragas antes inexistentes, pois eles agora eram plantados aos montes, mas muito além de nossas reais necessidades. Os vegetais ficaram pobres de nutrientes e trouxeram mais doenças. Os solos começaram a se esgotar e geraram mais doenças. As doenças cresciam e nós resolvemos que era hora de curá-las. Olhávamos ao que acontecia e concluíamos como poderíamos nos salvar das doenças. Aperfeiçoamos nossos métodos de análise até que conseguíssemos debelar esta ou aquela doença, nossos olhos se tornavam cada vez mais aguçados com a ajuda de instrumentos cada vez mais sofisticados. Nós conseguíamos enxergar a entranha de todos os seres, mas esquecemos de olhar para nosso interior. Matávamos as bactérias, os vírus e outros microorganismos sem saber que as doenças eram apenas fruto de nossa visão distorcida da vida. Já não tínhamos tempo para meditar ou para pensar. Nos tornamos a cópia fiel das máquinas que produzíamos em série. Não pensavam! Produziam!
Os males aumentavam e as tecnologias também. A soberba mais ainda! Nos tornamos sábios! Éramos capazes de falar línguas, de tecer pensamentos os mais diversos sobre a Criação, mas continuávamos a ser os mesmos seres insensíveis. Investigávamos todo o nosso planeta e nos maravilhávamos a cada descoberta e ao mesmo tempo usurpávamos nosso lar. Com o desenvolvimento da tecnologia pudemos criar lares mais confortáveis, mas às custas do uso excessivo e desmedido da natureza e começamos loucamente a desenvolver em nossos laboratórios tecnologias que nos ajudassem a viver melhor sem qualquer dependência daqueles recursos naturais, que se esgotavam muito rapidamente. Ao mesmo tempo passávamos a produzir mais seres. Eles não eram concebidos, eram produzidos. Criamos tecnologias que permitiam construir novos seres como nós. O amor não era mais necessário em nosso mundo. Passamos a investigar mais profundamente nossos corpos na busca desesperada da cura para os nossos males. A cada momento pipocava uma nova tecnologia capaz de nos trazer a saúde, a longevidade. Mas começamos a nos perturbar por isto. Como será um mundo sem animais, sem vegetais, sem natureza? Qual a vantagem de se viver mais num mundo cada vez mais asséptico?
Criamos, então, tecnologias que nos permitiam criar novos seres, mais econômicos, desprovidos de tudo o que nos prejudicava. Seres tão insensíveis quanto nós. Logo perdemos o controle! Nos vimos rodeados por um mundo insensível, onde nossos filhos eram a cópia exata de nós mesmos, onde os outros seres eram apenas uma vaga lembrança dos sábios seres de outrora e onde nós nos tornamos apenas seres dedicados a produzir um mundo cada vez melhor. Nós alijamos a natureza, o Criador, o Amor e a Sabedoria, dentre outras coisas só porque um dia achamos que éramos melhores do que todos. Nos tornamos seres solitários que temíamos olhar para o outro. Éramos treinados a cada dia no exercício exaustivo de não sentir, não tocar, não experimentar. Achávamos que só do lado de fora existiriam explicações para o que éramos. Criamos tecnologias que sabiam explorar nossos tecidos, nossas células, nossos cromossomos, mas não sabíamos mais explorar a nossa alma. Esquecemos de tudo isto!
Nosso mundo morreu há muito tempo e nossas almas agora vagam por aí buscando ajudar a outros seres e mundos onde a tecnologia tornou-se um abuso e não uma aliada.
Cumprimos nosso dever!
(10/12/2001)

PS: ao final de todos os textos aparece a data de canalização!

Marco Antonio 1/19/2002 07:16:00 da tarde

Olá!!!!!!

Meu nome é Marco!!!!!
Seja bem-vindo!!!!!
Você já ouviu aquela "estorinha" que fala de um terrível incêndio na mata e que, enquanto muitos animais fogem, um beija-flor insistentemente voa de um lado para o outro jogando seus minúsculos jatos de água na inocente intenção de querer apagar o fogo?
Aí o leão pergunta se ele pensa que vai conseguir apagar o incêndio daquela maneira. O beija-flor responde que pelo menos ele está a fazendo a parte dele!
Este blog é um feito só de canalizações! Para quem não sabe do que se trata, eu digo que é a recepção de mensagens espirituais!
São mensagens que estão aqui disponíveis apenas para você ler, ou para pensar, ou para não gostar, ou simplesmente para distribuir por aí!
Os seres envolvidos neste projeto desejam apenas que este trabalho seja exclusivamente feito em língua portuguesa! Por qual motivo ? Nem eu sei!
Você é livre para copiar quaisquer dos textos apresentados, mas não deve traduzir para outra língua e nem assinar seu nome como sendo autor do texto! Eu sou apenas aquele que serviu de veículo para que estes textos se materializassem. Eu não assino estes textos como autor...no máximo como...colaborador.
Divulgue à vontade!
Eu só estou fazendo a minha parte!
Boa leitura!!!!
Se quiser me conhecer mais:
www.sagradacura.hpg.com.br
http://br.geocities.com/buluccib

Meu e-mail:
inlakechbr@yahoo.com.br

Inté!!!!!!!
Marco Antonio 1/19/2002 07:10:00 da tarde


///This page is powered by Blogger. Isn't yours?///